Social Media Links:

Síguenos:

Cancuún México 29 de noviembre - 10 de diciembre 
Choose your prefered language: Español | English

Head of UN climate agreement that wants to show it is possible

Dirigente da ONU quer mostrar que acordo climático é possível Reuters/Brasil Online (BRASIL)

Brazil
Reuters/Brasil Online
04/10/2010
Por Chris Buckley

TIANJIN, China (Reuters) - A principal autoridade da ONU para questões climáticas pediu nesta segunda-feira que os governos deem passos concretos pela adoção de um novo tratado contra o aquecimento global, sob risco de pôr em dúvida todo o processo de negociação.

Representantes dos governos nacionais estão reunidos na cidade portuária chinesa de Tianjin para mais uma rodada de discussões sobre um documento que substitua o Protocolo de Kyoto, que expira ao final de 2012.

As negociações têm esbarrado nas desconfianças entre países ricos e pobres, nas exigências de maior transparência a respeito das metas de redução das emissões de poluentes e nas discordâncias sobre o tamanho dos cortes oferecidos pelas nações desenvolvidas.

Uma tentativa de resolver o impasse na conferência climática de 2009, em Copenhague, terminou em fracasso, e pouca gente espera um resultado diferente da cúpula de novembro deste ano, em Cancún (México). A maior expectativa agora é que o novo tratado seja aprovado no ano que vem na África do Sul.

"Agora é a hora de acelerar a busca por um terreno comum", disse Christiana Figueres, secretária-executiva da Convenção Quadro da ONU para a Mudança Climática, aos delegados de quase 180 países reunidos na sessão de abertura da reunião de Tianjin, que vai até sábado.

"Um resultado concreto em Cancún é crucialmente necessário para restaurar a fé e a capacidade das partes para levar o processo adiante, para evitar que o multilateralismo seja percebido como uma estrada que nunca termina", afirmou ela em seu discurso.

O evento de Tianjin é a última reunião de trabalho importante antes da conferência de Cancún, que começa em 29 de novembro.

"Esta semana será, até certo ponto, um indicativo de até onde poderemos ir", disse o negociador dos EUA em Tianjin, Jonathan Pershing, à Reuters.

"Atualmente parece que a diferença é bastante grande, mas há esperança de chegar a um consenso em torno de algumas questões", declarou o negociador chinês Xie Zhenhua a jornalistas.

El contenido de las noticias que se presentan en esta sección es responsabilidad directa de las agencias emisoras de noticias y no necesariamente reflejan la posición del Gobierno de México en este u otros temas relacionados.

    

Page 'Breadcrumb' Navigation:

Site 'Main' Navigation: